Postagens populares

sábado, 22 de agosto de 2009

Novas ditaduras ainda podem surgir? Entraremos numa nova onda?

O golpe em Honduras está bem perto de completar dois meses e os manifestantes continuam lutando nas ruas para acabar com o governo dos golpistas e exigir o retorno do Presidente eleito Manuel Zelaya.
É claro que as forças militares que apoiaram o governo golpista de Roberto Micheletti continuam reprimindo violentamente as manifestações. Um militante enviado a Honduras pela Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas)disse por e-mail que a situação se mantém porque professores estão à frente das moblizações, mas que a imprensa diariamente mostra depoimentos de pais e de mães pedindo o retorno dos 'mestres' às escolas.
Zelaya foi arrancado do poder, mas a mesma imprensa tão preocupada em divulgar o chamamento à educação não divulga que Zelaya foi eleito democraticamente. . O que se pretende neste texto é escancarar a desfaçatez da imprensa, principalmente da nossa, que quase nunca diz que o presidente deposto foi eleito. Que diferença faria a divulgação insistente do processo de condução ao cargo?, poderiam perguntar alguns. Faz toda diferença, pois, enquanto a Organização dos Estados Americanos (OEA), comandada pelos Estados Unidos, mesmo como o Barack Obama como novo presidente, não move uma palha para denunciar e exigir a saída do golpista, a imprensa mais uma vez encobre a realidade, quando seu papel deveria ser o de explicitá-la. Sejamos mais óbvios, a imprensa deveria mencionar em todo noticiário que se trata de um golpe nos moldes dos golpes que varreram a América Latina entre as décadas de 60 e 70, a começar pelo Brasil e terminar pela Argentina que liquidaram pelos menos duas gerações de jovens; os que morreram na guerrilha, os que morreram na perspectiva de vida que poderiam ter e os que passaram a estudar sob a ótica infame dos ditadores.
Quem não se lembra dos livros de História que mencionavam uma "Revolução de 64" e nada, absolutamente nenhuma linha sobre torturas, mortes e assassinatos. Mas destacava a "destemida" caça aos "terroristas". Nenhuma palavra, aliás, nem sequer, a palavra correta: golpe constava do livro de História oficial.

Entre a ditadura atual e a ditadura antiga, que os diretores da Folha de São Paulo (aquele jornal que se autodenominava numa propaganda da década de 80: "o jornal de rabo preso com o leitor"), um exemplo vem do cinema. Estreou ontem, A Onda. Já o assisti na semana passada durante o Clube do Professor, em São Paulo. O filme é uma produção alemã, local onde também é ambientado, que leva ao exercício sobre possíveis novas ditaduras no mundo. O filme atual repercute um média metragem de 1981, que não conheço, por sua vez baseado em uma experiência de um professor californiano (Estados Unidos) em 1967, esta última real, sobre um exercício para reproduzir uma autocracia.
Vale a pena a professores e alunos o debate. Não é sempre que se pode discutir metologia, influência, distúrbio de personalidade, perda de controle e soberba numa única película.
Gislene Bosnich

sábado, 1 de agosto de 2009

O que todo mortal pode fazer para se defender da Gripe H1N1, a gripe A ou gripe suína, como é popularmente conhecida

Reproduzo na íntegra as postagens de alguém que pelo menos consegue expressar o que qualquer pessoa pode fazer para evitar a contaminação, preparando seu sistema imunológico para ficar mais resistente. O e-mail foi publicado originariamente no site da Revista Época

"MARCELO FETHA". É IMPORTANTE. A GRIPE CONTINUA AGINDO. É sempre bom se prevenir. A pedido de um amigo de pesquisas no tempo do nosso saudoso e querido Corsini, do qual fui amigo (nos anos 70) e discípulo no começo dos anos 80 em Imunologia e Genética (Unicamp), vou repassar a todos a maneira mais correta e saudável de enfrentar essa Influenza A (erroneamente chamada de gripe suína). O melhor que vc pode fazer é reforçar o seu sistema imunológico através de uma alimentação correta e saudável, no sentido de manipular sua imunidade, preparando suas células brancas do sangue (neutrófilos) e os linfócitos (células T) as células B e células matadoras naturais. Essas células B produzem anticorpos importantes que correm para destruir os invasores estranhos, como vírus, bactérias e células de tumores. As células T controlam inúmeras atividades imunólogicas e produzem duas substâncias químicas chamadas Interferon e Interleucina, essenciais ao combate de infecções e de tumores.
Bem, vamos ao que interessa, ou seja quais alimentos são importantes (estimulam a ação do sistema imunológico e potencializam seu funcionamento).
- Antes de mais nada, tome pelo menos um litro e meio de água por dia pois os vírus vivem melhor em ambientes secos e manter suas vias aéreas úmidas desestimulam os vírus. Não a tome gelada, sempre preferindo água natural e de preferência água mineral de boa qualidade;
- Não tome leite, principalmente se estiver resfriado ou com sinusite pois produz muito muco e dificulta a cura;
- Use e abuse do Iogurte natural, um excelente alimento do sistema imunológico.
- Coloque bastante cebola na sua alimentação;
- Use e abuse do alho que é excelente para o seu sistema imunológico. Coloque na sua alimentação alimentos ricos em caroteno (cenoura, damasco seco, beterraba, batata doce cozida, espinafre cru, couve) e alimentos ricos em zinco (fígado de boi e semente de abóbora);
- Faça uma dieta vegetariana (vegetais e frutas). Coloque na sua alimentação salmão, bacalhau e sardinha, excelentes para o seu sistema imunológico;
- O cogumelo Shiitake também é um excelente anti-viral, assim como o chá de gengibre que destrói o vírus da gripe.
- Evite ao máximo alimentos ricos em gordura (deprimem o sistema imunológico), tais como carnes vermelhas e derivados.
- Evite óleo de milho, de girassol ou de soja que são óleos vegetais poli-insaturados. Importante: mantenha suas mãos sempre bem limpas e use fio dental para limpar os dentes, antes da escovação.

Gripe suína mata muitos enquanto o governo Lula brinca de esconde-esconde

Os médicos que não são famosos e atendem gente de carne e osso, em geral, pobres/trabalhadores nos ambulatórios e hospitais públicos do país, garantem que o Tamiflu deveria ser indicado para todos os que chegam aos mesmos hospitais com febre intermitente, sintoma mais que comprovadamente aliado aos indícios confirmativos da gripe H1N1, gripe A ou Suína, como o povo entende e nome pelo qual a chama.

No entanto, parece que a maioria aderiu à cantilena de que tomando Tamiflu pode-se ampliar a resistência do vírus. A ponderação é correta, porém, o que fazer com os que contraíram o vírus? Mas entre aqueles que não aderiram a esta visão governista, estreita e pragmática, há um pequeno do grupo de profissionais da saúde que se atrevem a dizer a realidade. Simples, no mundo do capitalismo: O governo Lula não quer quebrar a patente, até o momento, do único remédio capaz de evitar que milhares de pessoas somem-se às estatísticas sobre o número de mortos que só cresce no Brasil. Onde estão o Tamiflu e o Relenza?
É verdade também que boa parte dos mortos são pessoas de baixo poder aquisitivo, ou, para ser mais específico, são trabalhadores que chegam aos hospitais com um quadro regular e não são diagnosticados. Depois, quando o quadro evoluiu já não há mais tempo. Basta ver as histórias que se repetem em todo o país. Muitos correram aos hospitais e nada foi feito. Em casa pioraram e "surpreendentemente" faleceram depois de alguns dias.
Quebra de patente ou defesa da saúde privada?- O governo Lula, na figura de seu Ministro da Saúde, José Gomes Temporão está provocando diretamente estas mortes. Primeiro, porque, assim como a crise econômica mundial, tudo estava sob controle. Mas a verdade é que nos aeroportos, primeira porta de entrada do vírus, nada existia de campanha de esclarecimento e de controle. E eis que hoje estamos à mercê da sorte. Sorte?!
Os profissionais de saúde, há também inúmeros relatos, estão proíbidos de utilizar máscaras e equipamentos alternativos de higiene. O que acontece se houver baixa em quem atende a população?
A própria Organização Mundial de Saúde (OMS), um órgão que está longe de dizer a verdade sobre a saúde pública no mundo, foi quem avaliou que seria melhor interromper as aulas. Mas o Estado de São Paulo, dirigido pelo governador José Serra, titubeou até quando pôde e o assecla, Prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab ainda teve dúvida se interromperia o retorno, mesmo com apenas oito dias úteis de recesso escolar na rede municipal.
Um amigo me disse que o Jornalista Boris Casoy afirmou tratar-se de uma vergonha, bordão mais que ultrapassado, que as escolas públicas de ensino fundamental e escolas infantis tivessem paralisado suas atividades, porque as escolas infantis particulares estavam funcionando normalmente. Quantos seres humanos atendem as escolas infantis particulares?
Seria conveniente que o jornalista tivesse disposição para andar em ônibus, metrôs e trens e ainda lecionar para salas com mais de 30 alunos (às vezes, 40 e 50 se se considerar o ensino estadual) para compreender a gravidade de seu comentário.
1 trilhão para os banqueiros a morte para os trabalhadores -
Mas o mais interessante é que enquanto o governo regateia o antídoto para a gripe A existente hoje, ontem, dia 31 de julho, a emissora de TV fechada Globo News difundia por alguns programas o resultado da operação SALVA BANQUEIRO MUNDIAL. De setembro de 2008, quando ocorreu a farsa da "quebradeira" do Lehman Brothers até hoje (ontem, no caso), os Estados-Nações tinham destinado ao sistema de banco em todo o mundo 10 trilhões de dólares. Vou repetir: 10 trilhões de dólares. E pasme: DESTES 10 TRILHÕES DE DÓLARES, 1 TRILHÃO DE DÓLARES SERIA A PARTE QUE O BRASIL DESEMBOLSOU PARA SALVAR OS BANQUEIROS. Esta informação estarrecedora entrou no jornal Em cima da hora das 13 e das 14h. Depois no Em cima da hora das 15h. o complemento sobre a parcela de ajuda que o Brasil deu aos "seus" banqueiros já não constava mais da informação. (Estaria a cifra incorreta? Pouco provável, pois quando ocorrem erros, rapidamente a edição seguinte trata de repará-lo. Corte político? Mais provável). Vamos repetir: 1.ooo.ooo.ooo.ooo de dólares dos cofres públicos brasileiros para o bolso dos banqueiros, na redução de impostos, na redução de arrecadação, na redução de recursos para as pastas da educação, da saúde, de saneamento básico, da cultura, da habitação, entre tantos outros destinos necessários e urgentes.
No Brasil, bem diferente da falácia da ditadura militar, como seu slogan: Ame-o ou deixe-o, ou caso, agora é: Transforme-o ou morra, com qualquer uma das inúmeras misérias que se abatem sobre nós, o povo.

Gislene Bosnich

Contra a barbárie

Público-alvo: adolescentes
Motivar, impulsionar, levar à reflexão, levar à transformação consciente, coletivo sem anular o indivíduo.
O blog está disposto da seguinte maneira. Na coluna à esquerda estão disponíveis textos gerais, alinhados por série.
Também há slides de fotos de espaços culturais registradas por mim e sites sobre educação e saúde.
Já na coluna central estão as postagens. Postagens são mensagens que escrevo e envio sobre algum assunto atual e não necessariamente relacionado ao que estamos estudando. Todas as postagens podem ser comentadas, basta clicar em comentários. Aí você escreve sua opinião.
As postagens antigas estão alinhadas na coluna da esquerda. Por exemplo, o blog começou dia 30 de abril de 2008. Basta ir até arquivo do blog e procurar o mês e a data.
Voltando... na coluna central também há vários links que informam sobre possibilidade de consulta para estudo. São sites idôneos de entidades, em geral, públicas ou reconhecidas pela seriedade. Também há outro conjunto de links que agrupam espaço culturais.
Para os professores, o site dispõe de um link (sala dos professores) com textos sobre educação veiculados na mídia eletrônica, e também um canal de contato; o e-mail: contraabarbarie@gmail.com

Gislene Bosnich

Joe Sacco: o quadrinista com veia de historiador

(Restrito aos estudantes da EMEF Jackson de Figueiredo. Qual a programação de TV a que você assiste? (clique em apenas uma alternativa)

Simpsons - Bart e o Transtorno do Déficit de Atenção

Enquanto é possível... aproveite a vida.

A verdadeira história da bulímina e da anorexia

Gruipe Suína - Animação instrutiva

Melhores imagens (Destinado aos alunos)

Se você gosta de fotografar a cidade de São Paulo, envie sua foto para contraabarbarie@gmail.com ; ela pode figurar no blog.
Não valem imagens de pessoas com close no rosto. Mas se for multidão, tudo bem. A idéia é divulgar a cidade e uma forma diferenciada de enxergá-la. Procure inovar os ângulos de ver São Paulo.
Participe!
Gislene Bosnich

Concurso para os alunos

Concurso para os alunos
Qual o nome desta famosa praça? E qual famoso episódio teve início nela? (envie um e-mail contendo a resposta para contraabarbarie@blogspot.com)

Classe Média - Max Gonzaga e Banda Marginal (Leia postagem do dia 20 de julho)

Loading...

Seguidores

O Analfabeto Político - Bertolt Brecht

O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.
O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, a criança abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo.
Nada é impossível de Mudar. Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo. E examinai, sobretudo, o que parece habitual. Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar.
Privatizado. Privatizaram sua vida, seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar. É da empresa privada o seu passo em frente, seu pão e seu salário. E agora não contente querem privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento, que só à humanidade pertence.

Uma chance à Humanidade

Ser trabalhador nunca foi fácil. Ser mulher trabalhadora então ainda é mais complicado.
Este blog é uma maneira de não desistir de procurar formar trabalhadores críticos e que vão buscar transformar este mundo numa sociedade sem classes, sem exploração em que cada ser humano possa desempenhar o que desejar sem que isso signifique um crime.
Gislene Bosnich

Visitante